CBA Alumínio

out seg, 2019

Premiação realizada no IT Forum X consagrou a empresa na categoria de siderurgia, metalurgia e mineração

O evento de tecnologia IT Forum X deste ano, que aconteceu nos dias 16 e 17 de outubro, em São Paulo, reconheceu a Companhia Brasileira de Alumínio – CBA como uma das vencedoras do prêmio ‘As 100+ Inovadoras no Uso de TI’. A empresa foi a terceira colocada na categoria Siderurgia, Metalurgia e Mineração e conquistou o 58° lugar na classificação geral do ranking, que avalia projetos de TI com impactos em inovação aos negócios de empresas brasileiras. A premiação é realizada pelo grupo IT Mídia em parceria com a PwC.

Participando pela primeira vez, e representada por seu Gerente de TI, Luis Carlos Maldaner, a CBA recebeu a condecoração em razão do projeto de Supply Digital, uma das etapas dos aprimorentos de diversos pontos da cadeia produtiva, que vem acontecendo desde 2018. Com o propósito de aperfeiçoar a conectividade de toda a rede logística, atribuindo a ela um sistema de menor risco e maior agilidade, o projeto abrange um conjunto de ferramentas com enfoque em facilitar o relacionamento direto da empresa com seus clientes.

As iniciativas que constituem o Supply Digital englobam mudanças de infraestrutura, reposicionamento e aumento do número de antenas para ampliação de sinal, além de repaginação de setores, como o de segurança, o de planejamento e o de armazenamento.

Um dos destaques do projeto é o novo sistema de rastreio de mercadoria, que permite um maior controle na gestão de riscos, reduzindo, assim, o índice de roubos de carga. Além disso, para agendamento foi disponibilizado um portal onde transportadoras e clientes conseguem programar seus horários de carregamento, conferindo mais organização em relação aos prazos. Além disso, é possível rastrear veículos, uma ferramenta disponível para clientes por meio do aplicativo ‘Minhas Entregas’.

Outra etapa do programa foi a integração do plano logístico ao S&OP (planejamento de vendas e operações, em português), o que redefiniu estratégias a partir de inputs mercadológicos, baseados em D+2, ou seja, como deve ser olhado o planejamento de hoje até dois dias à frente. O processo aprimorou bids e celebrou contratos com transportadoras fixas, tanto por raio de entrega, quanto por expertise na região de atuação.

Já no segmento de armazenamento, os produtos de alumínio primários, como lingotes, tarugos e vergalhões, ganharam um estudo prévio que visa melhorias em suas disposições e no fluxo de veículos, além de instalações de câmeras e infraestrutura de TI, como a programação de remessa e o Yard Logistics, solução do S&OP implementado para desempenhar a gestão de todo o pátio, diretamente conectado com o portal de agendamentos. Segurança e assertividade operacional, gestão visual e controle dos estoques, em todo o processo, equivalem à acuracidade da reserva e ao aumento de produtividade do núcleo.

Em geoposicionamento, programado para início no começo de novembro, a CBA realizou um mapeamento de maior eficiência do tempo e gargalo de cada uma das atividades logísticas de dentro da fábrica, ou seja, seu tempo de permanência, onde monitoramento e repasse de informações são feitos em tempo real.

Todas as ações do projeto Supply Digital promovem a sustentabilidade da cadeia ao agregar ideias e gerar valor, além de consagrar, mais uma vez, o compromisso da CBA com sua visão de mercado progressista, voltada para a co-criação com parceiros. O ganho no KPI de entregas com clientes também foi uma das conquistas do projeto, o qual já é reconhecido e refletido no aumento da satisfação.